Dicas de harmonização de queijos e cerveja

 

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria (www.facebook.com/umami.sommelieria)

Com a chegada do clima mais ameno, as agradáveis noites de queijos e vinhos se tornam mais frequentes. Mas que tal tentar algo diferente nas reuniões com amigos e familiares (ou até em um encontro), harmonizando queijos e cervejas?!

As cervejas são mais versáteis e não menos complexas que os vinhos em um evento de harmonização com queijos (ou qualquer outro alimento). E acredite, existem ótimas opções para acompanhar até mesmo um delicioso fondue nesse friozinho.

Queijos frescos e mais suaves, como minas, muçarela, feta, burrata ou até o de cabra fresco harmonizam bem com cervejas igualmente leves, como as Weizen (cervejas de trigo alemãs), Pilsen, Helles, Koelsch, Cream Ale, American Blonde Ale, etc.

Exemplos: Schneider Weisse TAP 2, Bierland Pilsen , HB Original  e Schmitt Blond Ale.

Os queijos de mofo branco, como o brie e o camembert vão muito bem com geleias de frutas, que trazem dulçor e acidez. Pensando nisso, podemos trazer cervejas com este mesmo perfil frutado e de leve acidez, como as Weizen, Witbier, Saison (não tão lupuladas) e Fruit Beer.

Exemplos: Jacobinus Hefe-Weizen , La Trappe Witte , e Anchor Mango Wheat .

Os queijos semiduros, como gouda, gruyère e emmental, trazem notas amendoadas e um pouco mais de gordura que os citados anteriormente, portanto pedem cervejas levemente mais alcoólicas e com boa presença de malte, tais como Märzen, Bock, Weizenbock, Dunkel, Belgian Blonde Ale, English Brown Ale, etc.

Exemplos: Bierbaum Weizenbock , Maredsous Blonde , e Brooklyn Brown Ale.

Queijos duros e salgados, como o parmesão, pecorino e grana padano, pedem por cervejas mais intensas e alcoólicas. As mais adocicadas (Doppelbock, Tripel e Belgian Strong Ale) vão contrabalancear o sal.

Já as Stouts e Porters vão combinar suas notas tostadas com o umami intenso desses queijos e formar uma combinação infalível.

Exemplos: Ayinger Celebrator, Bierland Strong Golden Ale, e Anchor Porter.

Os queijos azuis e os de ovelha maturados, como gorgonzola, roquefort, stilton e pecorino são bastante intensos, gordurosos e salgados, portanto demandam cervejas igualmente mais potentes.

Cervejas dos estilos Doppelbock, Quadrupel, Tripel mais alcoólicas, Barley Wines, etc. são ótimas pedidas. Exemplos: La Trappe Quadrupel , Brooklyn Tripel Burner, e Cevada Pura Capitão Barbosa.

Cervejas mais lupuladas, como Pale Ales, IPAs e Double IPAs também harmonizam com queijos azuis mais fortes (roquefort, gorgonzola, brillat-savarin), além dos queijos de cabra frescos, que apresentam acidez elevada. Exemplos: BrewDog Dead Pony Club, Lagunitas IPA  e Shipyard XXXX IPA.

Enfim, a variedade de queijos e cervejas é imensa. O importante é sempre levar em consideração a intensidade de cada um.

Então, caso o queijo ou o estilo de cerveja específico que você quer harmonizar não esteja entre os citados acima, é só seguir algumas dicas, que a sua reunião terá tudo para ser incrivelmente prazerosa:

Intensidade:

Queijos leves e frescos, com cervejas também mais leves. Assim como queijos mais complexos e intensos pedem por cervejas mais fortes e maltadas;

Textura:

Queijos mais cremosos pedem cervejas mais encorpadas, macias e maltadas. E queijos mais duros, cervejas mais secas;

Acidez:

Queijos frescos são mais ácidos que os maturados e, por semelhança, vão muito bem com cervejas igualmente ácidas;

Dulçor:

Queijos maturados são mais adocicados e, também por semelhança, combinam com cervejas mais maltadas. Essas, por sua vez, também vão bem com queijos mais salgados, equilibrando o paladar;

Amargor:

Cervejas mais amargas e lupuladas são ótimas acompanhantes de queijos mais gordurosos ou bem ácidos (como os de cabra);

Álcool:

Quanto mais alcoólica a cerveja, mais complexo e intenso deve ser o queijo.

Está esperando o quê para chamar os amigos e organizar uma bela harmonização de queijos e cervejas?

Você já conhece as melhores marcas de cerveja brasileira?

Apesar de muitos dos grandes rótulos de cerveja serem internacionais, principalmente de países europeus, para nossa alegria, a quantidade de cervejas nacionais vem crescendo cada vez mais! Mas você já conhece as melhores marcas de cerveja brasileira 

Se ainda não conhece, então esse material é o que você precisava! Neste top 3, vamos mostrar quais são os principais rótulos nacionais, de acordo com o Ratebeer, a principal fonte de pontuação de cervejas do mundo. Também vamos contar o motivo dessas brejas se destacarem no mercado e ainda indicar algumas outras que têm se destacado. 

E se você se está por dentro das melhores marcas de cerveja brasileira, temos certeza que essa lista vai ajudar você a conhecer um pouco das brejas tupiniquins! 

Bora lá?   

Dogma 

A Dogma é uma cervejaria nova. Seu lançamento foi no ano de 2015, com a junção de três cervejarias ciganas que buscavam melhorar a distribuição de suas bebidas: Serra de Três Pontas, Noturna e Prima Satt. Mas não é porque ela é nova que não tem qualidade. 

Logo em seu primeiro ano de vida, a Dogma foi premiada pela Ratebeer como a melhor cervejaria brasileira do ano! 

Orfeu Negro, uma típica Russian Imperial Stout, é a maior prova de qualidade da Dogma. Com 12% de álcool, ela traz aromas de café, chocolate e baunilha.  

Colorado 

Talvez essa paulista de Ribeirão Preto seja uma das marcas mais famosinhas ultimamente, principalmente depois que a Ambev comprou a cervejaria, em 2015. Mas nem por isso sua qualidade é menor do que outras.  

O mais interessante é que a cervejaria abriu não com um, mas com oito tipos diferentes de chops. Todos marcados por:  

  • Alto teor alcoólico  
  • Lupulados 
  • Não filtrados
  • Ingredientes brasileiros 

Foi bebendo na fonte cervejas clássicas e fazendo releituras com ingredientes nacionais que o urso conquistou seu lugar no topo do mercado. 

E o que faz da Colorado uma das melhores marcas de cerveja brasileira é justamente seu processo de fabricação: “natural, manual, artesanal, com ousadia e originalidade”.  

Tupiniquim 

Inovação e ousadia. Esse é o lema de um dos rótulos nacionais mais premiados nos últimos anos.  

Vencedora do Festival Brasileiro da Cerveja de 2015Copa Cerveza de América 2015 e South Beer Cup 2014, a Tupiniquim se destaca principalmente pela qualidade e originalidade de suas cervejas.  

O que faz da dela uma das melhores marcas de cerveja brasileira é seu processo de fabricação, que conta com uma cuidadosa seleção de ingredientes, além da diversidade de tipos de cervejas fabricadas (são cerca de 35!). 

 

Indicações de marcas de cerveja brasileira

Amazon Beer 

Amazon tem se destacado no mercado nacional de brejas com rótulos premiados em grandes eventos, como: Concurso Brasileiro de Cervejas, International Beer Challenge e South Beer Cup. 

E segundo a própria marca, os segredos mais valiosos para o processo de fabricação são os cuidados especiais em cada etapa da produção e a ausência de aditivos químicos. 

Dom Haus 

Mais do que cervejas de qualidade, um dos maiores propósitos da Dom Haus é proporcionar momentos únicos.  

Os dois maiores diferenciais que qualificam as brejas da Dom são os ingredientes altamente selecionados e a importação deles pelos melhores fornecedores do mundo! 

 

Agora que você já conhece algumas das melhores marcas de cerveja brasileira, que tal colocar seu paladar tupiniquim em ação? Com o The Beer Planet Club você recebe essas e diversas outras cervejas de todo o mundo no conforto da sua casa!

Cerveja dá barriga? – Acabando de uma vez com este mito

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

A cerveja não é a vilã!

Uma das características mais injustamente atribuídas aos cervejeiros é a chamada “barriga de cerveja”. Mas aqui vamos desmitificar esse atributo através de dados e mostrar que a cerveja não é a grande vilã da boa forma.

Diversas pesquisas científicas realizadas no mundo todo confirmam que o consumo moderado de cerveja (entre 250ml e 500ml por dia) não leva os homens a ganharem massa e ainda pode ser associado à redução de peso nas mulheres.

Um estudo do Journal of Nutrition mostrou que pessoas que consomem bebidas alcoólicas com moderação diariamente estão mais em forma do que aqueles que só “tomam um porre” de vez em quando.

Ou seja, não adianta guardar essas 2 latinhas do dia para serem tomadas de uma só vez no final de semana. Seu corpo não vai conseguir processar toda essa quantidade de álcool de uma vez, e aí sim, a barriguinha vai acabar aparecendo.

Obviamente, esses fatores vão ser significativamente impactados pelo estilo de vida, hábitos alimentares, nível de atividade física praticada por cada indivíduo, entre outros – assim como em qualquer outra dieta.

Cerveja x outras bebidas

A cerveja não contém gordura ou colesterol e possui um baixo nível de açúcares livres. As calorias vêm principalmente do álcool contido na bebida.

Portanto, comparada às outras bebidas alcoólicas, a cerveja é uma das menores em quantidade de calorias. Mas, geralmente ela é bebida em maior quantidade. E por isso é importante frisar a moderação como fator decisivo na prevenção da indesejada barriga saliente.

Cervejas e petiscos

Mas aí é que entra talvez o grande responsável pela tal da “barriga de cerveja”. Estudos apontam uma ligação direta entre o consumo da bebida e de alimentos com alto teor de gorduras e calorias. Os famosos “tira gostos”, petiscos, “beliscos”…

Comparando as calorias da cerveja com as calorias dos petiscos que são geralmente servidos para acompanha-la, rapidamente percebemos quem são os grandes vilões do aumento de peso, e consequentemente, da barriga. E não é a cerveja!

Tudo em excesso é ruim

Por outro lado, se você abusar da cerveja, de qualquer outra bebida alcoólica, ou até mesmo do refrigerante (que não tem álcool), por motivos óbvios, você correrá sérios riscos de sofrer um aumento de peso, além de diversos outros problemas de saúde associados a este exagero.

Então fique atento, pois obesidade é um problema muito sério, que está associado a diversas outras doenças, como Diabetes Tipo II, doenças cardiovasculares e cirrose hepática, além de poder ser responsável pela redução de aproximadamente 10 anos na sua expectativa de vida.

Responsabilidade, bons hábitos alimentares, atividades físicas regulares, estilo de vida saudável e – principalmente – MODERAÇÃO, são lemas que devemos tomar como regra para uma vida cervejeira sem preocupações com o aumento da barriga!

Conheça os benefícios da combinação entre cerveja e esporte

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria 

De início, é importante salientar que o excesso no consumo de bebidas alcoólicas é prejudicial à saúde. Isso estabelecido, tenha sempre em mente que os benefícios citados aqui são referentes ao consumo moderado de cerveja.

De acordo com estudos realizados pela Sociedade do Câncer dos Estados Unidos, o consumo moderado de bebidas alcoólicas (como cerveja, vinho ou até destilados) ajuda na prevenção de doenças cardíacas.

Da mesma forma, a taxa de mortalidade é reduzida para pessoas que consomem de uma a duas doses diárias (250ml a 500ml) de cerveja. Por outro lado, esse índice se torna mais alto para aqueles que consomem mais do que isso, ou até para os que nem consomem bebidas alcoólicas.

Claro que esses dados são baseados em indivíduos que não possuem nenhuma restrição preexistente de saúde que impossibilite ou limite o consumo de bebidas alcoólicas. Então, é sempre bom ficar atento para que os benefícios esperados não tenham efeitos contrários.

O consumo de cerveja como forma de hidratação pós-treino é comprovadamente benéfico à saúde. A cerveja (de boa qualidade) é rica em Magnésio, mineral essencial ao nosso corpo, principalmente após as atividades físicas.

Além disso, possui água, proteínas, vitaminas, sais minerais, fibras, carboidratos e as já conhecidas propriedades antioxidantes do lúpulo.

De acordo com as recomendações, essas cervejas devem ser preferencialmente de baixo teor alcoólico (entre 3% e 4% ABV) e de boa qualidade.

Modalidades cervejeiras

Hoje em dia está cada vez mais comum encontrarmos modalidades de esportes associadas ao consumo de cerveja.

Talvez o esporte cervejeiro mais comum nos dias de hoje seja a corrida de rua. Elas são organizadas por grupos de corrida ou até mesmo pelas cervejarias e têm se espalhado por todo o mundo, ganhando cada vez mais adeptos.

Nessa dinâmica, os atletas fazem os percursos estipulados e após o exercício participam de uma degustação de cervejas, combinando a atividade física, o entretenimento e a propagação da cultura cervejeira.

No Brasil, um grupo tem se destacado na organização desses eventos: o Alpha Beers  Outro exemplo é o Mikkeller Running Club– grupo de corridas da cervejaria dinamarquesa Mikkeller – que tomou tamanha proporção, tal que reúne integrantes no mundo todo.

Outra modalidade desportiva que tem dado as caras no cenário cervejeiro mundial desde 2015, é a chamada “Beer Yoga

– criada por duas yogis profissionais e apaixonadas por cerveja – Emily e Jhula.

De acordo com as precursoras dessa atividade, que envolve a prática das posições da Yoga ao mesmo tempo em que você degusta uma cerveja, ela desafia o seu cérebro a ficar em equilíbrio.

A cerveja e a Yoga são terapias centenárias que trazem benefícios para mente, corpo e alma. Assim, o prazer de apreciar uma cerveja e a plena atenção da Yoga se complementam e resultam em uma experiência energizante.

Você conhece mais alguma modalidade desportiva que combine com os benefícios proporcionados pela cerveja? Então conta pra gente!

E para finalizar, nada mais adequado que um brinde… Saúde!

3 dicas para degustar cerveja como um beer sommelier

Você já domina a arte de degustar cerveja como um beer sommelier? Com as dicas que reunimos aqui, a hora de tomar cerveja vai ficar muito mais prazerosa!

Nós reunimos alguns passos que você precisa seguir para tornar sua degustação mais especial e refinada. Você vai ver: suas cervejas ficarão mais saborosas, você vai entender muito mais do assunto e sua experiência será muito mais intensa!

Prepare-se:

Pesquisa

A primeira dica para degustar cerveja como um beer sommelier vem antes mesmo da degustação. Tudo começa na pesquisa! Então, quando você estiver definindo os cinco rótulos que devem estar na sua seleção, aproveite para aprender mais sobre as cervejas.

É sempre bom fazer uma pesquisa para não criar falsas expectativas. Aqui estão alguns pontos que você deve conhecer antes de beber: leia sobre a marca, descubra a origem da bebida e saiba tudo sobre o processo de produção. Ah, também é bom ficar a par do que você vai encontrar no seu rótulo: veja quais são as características da bebida, como aroma, sabor, aparência, etc..

Copo

Tão importante quanto a bebida, é a sua apresentação. Por isso, capriche no copo!

Cada estilo de cerveja tem um tipo específico, mas a regra geral é sempre usar um que tenha a boca mais larga e que possibilite sentir o aroma da bebida. Existem modelos coringas que você pode apostar, como o Tulipa, o Pint, o Lager e o Caldereta.

Outra coisa muito importante na hora de degustar cerveja é usar um copo limpo para cada degustação. Assim, os odores não se misturam e não atrapalham a experiência que cada bebida pode oferecer. E lembre-se: o seu copo deve estar em temperatura ambiente para receber a breja.

Temperatura

Por mais que a maioria das pessoas acredite que cerveja boa é cerveja gelada, esse é um dos maiores mitos que cerca a bebida. Se ela estiver muito gelada, alguns de seus detalhes podem passar desapercebidos.

Então, preste atenção na temperatura! Cervejas Pilsen, Witbiers ou Larger mais claras devem ser mantidas entre 0 e 4 °C. As de Trigo claras e as Lambics devem ser apreciadas entre 5 a 7 °C. Já as cervejas Lagers escuras, Ipas, Pale Ales, Amber Ales, Trigo escuras, Porters, Vienna e Bock devem estar com temperatura entre 8 a 12 º C. Por fim, as Trapistas, Strong Ales, Imperial Stout e as Bocks devem ter entre 13 e 15ºC.

Pra ficar mais fácil: quanto mais complexa e encorpada, menos gelada a sua breja deve estar.

Gostou das dicas? Agora, é só selecionar seus rótulos favoritos, organizar sua degustação (das cervejas mais leves até as mais encorpadas) e começar a melhor parte: beber!

E se você quiser ir ainda mais além, temos algumas dicas para você seguir na hora do brinde! Baixe nosso guia!

Se ficar difícil escolher as melhores garrafas para a degustação, relaxe! No nosso clube, você encontra as melhores cervejas, escolhidas a dedo de acordo com as suas preferências. Conheça!

O tira-gosto rápido para acompanhar cerveja que você precisa experimentar

O passo a passo para uma reunião de amigos bem-sucedida no fim de semana é simples: separe umas garrafas de cerveja, prepare uns petiscos, selecione algumas músicas e chame o pessoal! Mas, para não ter chances de errar, temos dicas para você encontrar o tira-gosto rápido para acompanhar cerveja ideal.

Nós vamos ajudar você a montar o cardápio da próxima reunião, com dicas de um tira-gosto rápido para acompanhar cerveja, sem falar, é claro, das nossas sugestões para harmonizar com as receitas.

Temos certeza que você irá aprovar:

COMO FAZER BRUSQUETA

Do que você precisa: pão, azeite, tomate, queijo e orégano.

Passo a passo do tira-gosto: fatie o pão, coloque azeite e leve ao forno até ficar crocante por fora e macio por dentro. Acima das fatias coloque uma rodela de tomate, um pedaço de queijo e tempere com orégano.

O tipo de cerveja: opte por rótulos leves e refrescantes. Aqueles do tipo Pilsen são uma boa pedida.

COMO FAZER BOLINHO DE MILHO

Do que você precisa: milho, ovos, farinha de trigo, fermento em pó, leite, salsa, sal, pimenta-do-reino e óleo para fritar.

Passo a passo do tira-gosto: em um liquidificador, bata os ovos, o leite e o milho. Depois misture os demais ingredientes a mão, lentamente. Quando a massa estiver homogênea, coloque colheradas para fritar.

O tipo de cerveja: cervejas mais amargas, como uma American IPA, limpam a gordura das suas papilas gustativas e preservam o melhor do sabor do prato.

COMO FAZER DADINHO DE TAPIOCA

Do que você precisa: tapioca granulada, queijo coalho ralado, leite quente, sal, pimenta-do-reino e óleo para fritar.

Passo a passo do tira-gosto: misture o queijo coalho ralado com a tapioca e acrescente leite bem quente à mistura, mexendo bem para não empelotar. Coloque sal e pimenta e despeje tudo em uma assadeira forrada com plástico. Depois de esfriar, corte em cubos e frite.

O tipo de cerveja: combinar esse prato com uma Weiss, com notas de frutas e especiarias, é a receita para o sucesso.

COMO FAZER SALSICHA ALEMÃ COM BATATAS

Do que você precisa: salsicha alemã, batatas, azeite, vinagre, mostarda, alho, sal e pimenta-do-reino.

Passo a passo do tira-gosto: cozinhe as batatas em cubos, frite rodelas da salsicha alemã e, à parte, misture os demais ingredientes para formar um molho. Depois junte todos os preparos em uma travessa.

O tipo de cerveja: nada melhor para harmonizar com uma receita alemã que um bom rótulo alemão. Que tal uma cerveja de trigo?

COMO FAZER BOLINHO DE CARNE SECA E ABÓBORA

Do que você precisa: carne-seca já temperada para o recheio. Para a massa, abóbora cozidae amassada, água, leite, creme de leite, farinha de trigo, margarina, caldo de galinha e alho. Para empanar, amido de milho e farinha de rosca.

Passo a passo do tira-gosto: frite o alho na margarina e depois acrescente leite, água e caldo de galinha. Depois de ferver, junte abóbora e farinha e mexa até soltar da panela. Adicione creme de leite aos poucos e espere esfriar. Modelo os bolinhos, recheie, empane e frite em óleo não muito quente.

O tipo de cerveja: um tira-gosto rápido e cheio de sabor como esse pede uma cerveja complexa e encorpada, como uma Saison.

Depois dessas sugestões de tira-gosto rápido para acompanhar cerveja, temos certeza que a próxima reunião com os amigos vai ser histórica! Agora, falta só ficar craque em harmonização e criar suas próprias combinações. Para ajudar você nessa, elaboramos um infográfico cheio de dicas de harmonização de cervejas. Baixe agora!

Cervejas Trapistas – você conhece as cervejas fabricadas por monges?

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

Quando você pensa em mosteiros, qual a primeira coisa que lhe vem a cabeça? Monges vestindo suas longas donkas, rezando em silêncio? Se sua resposta foi parecida com essa, você precisa conhecer as cervejas trapistas!

Nem só de orações vivem os monges! Alguns deles são espetaculares cervejeiros, que há séculos produzem o nosso líquido sagrado (literalmente) com total maestria dentro das paredes dos monastérios.

Para entender as cervejas trapistas, é necessário falar sobre as cervejas de abadia, que se referem a um conjunto de estilos de cerveja que se tornaram famosos através dos monges belgas, mas que atualmente, na maioria dos casos, não são mais produzidos dentro das paredes de um mosteiro.

Estes estilos englobam as “Single”, Dubbel, Tripel, Belgian Pale Ale, Belgian Blond Ale, Belgian Strong Pale Ale e Belgian Dark Strong Ale, que já eram produzidas nas abadias como forma de alimento para os monges e para os seus visitantes, por isso são bastante maltadas e densas.

Mas para uma cerveja receber a denominação de “Trapista”, de fato, não basta ter as características de uma cerveja de abadia, tampouco basta ser produzida em um mosteiro. Ela deve seguir critérios bem rigorosos:

– Ser fabricada dentro das paredes de um mosteiro trapista pelos próprios monges, ou sob sua supervisão (o envase não é necessariamente feito internamente);

– Ter importância secundária dentro do mosteiro e seguir as práticas de negócio da vida monástica;

– A cervejaria não deve ser uma empresa lucrativa – a receita se destina a cobrir as despesas de vida dos monges, assim como a manutenção do mosteiro e o que sobrar deve ser doado às instituições de caridade, trabalho social e auxílio a pessoas com necessidade.

É errado dizer que determinada cerveja é do “estilo Trapista”. Cerveja Trapista é um termo que determina a origem do produto e que ele foi produzido de acordo com os critérios estabelecidos acima.

Mas é certo dizer que todas elas são maravilhosas, complexas e excelentes com comida.

MAS O QUE É ORDEM TRAPISTA?

Oficialmente conhecida como “Ordem dos Cistercienses Reformados da Estrita Observância”, é uma Congregação religiosa católica derivada da Ordem de Cister. Os monges dessa Congregação são adeptos ao voto de silêncio, podendo apenas quebrá-lo para discutir sobre as atividades da cervejaria. Além dos votos comuns às Ordens Católicas (pobreza, castidade e obediência), os monges trapistas fazem também o voto de estabilidade, no qual ele deve viver em um mesmo mosteiro até a sua morte.

Atualmente existem 11 cervejarias que podem estampar o selo de “Produto Trapista Autêntico” em suas cervejas, sendo apenas uma delas fora da Europa:

  • Bélgica: Achel, Chimay, Orval, Rochefort, Westmalle e Westvleteren.
  • Holanda: La Trappe e Zundert.
  • Áustria: Stift Engelszell.
  • Itália: Tre Fontane.
  • Estados Unidos: Spencer.

As cervejas trapistas são constantemente monitoradas para garantir a sua extraordinária qualidade. Não é à toa que acerveja considerada por muitos como a melhor do mundo é uma trapista – a Westvleteren ABT 12, produzida pela Abadia de Saint Sixtus e oficialmente vendida apenas pelo próprio mosteiro ou pelo café situado em frente a ele.

Cervejas trapistas são cultuadas por cervejeiros do mundo todo e no Brasil temos a sorte de poder encontrar excelentes exemplares. Todas elas de qualidade inquestionável. Veja alguns destaques:

La Trappe 

cervejas trapistas

Destaque: La Trappe Quadruppel 

A La Trappe foi a primeira cervejaria trapista a produzir o estilo Quadruppel, uma cerveja complexa, alcoólica, com aromas de frutas passas (banana, uva, ameixa) e maltes tostados. Uma obra prima!


Chimay 

Destaque: Chimay Red 

Uma Dubbel com aroma de frutas secas, castanhas e especiarias, amargor leve em total equilíbrio com os maltes tostados.


Orval 

cervejas trapistas

Destaque: Orval 

É o único rótulo dessa icônica cervejaria. Uma cerveja única, aromática e complexa, refermentada na garrafa com leveduras selvagens (Brettanomyces), que desenvolvem seu perfil ao longo do tempo. Sensacional!


Trappistes Rochefort 

cervejas trapistas

Destaque: Trappistes Rochefort 8

Uma legítima Belgian Dark Strong Ale de cor marrom escura, aroma de madeira, nozes, café e chocolate. Complexa e marcante, é uma cerveja digna de agradecer aos céus!


Westmalle 

Westmalle Tripel 

A primeira cerveja denominada Tripel defende seu reinado como uma das melhores do mundo no estilo. Cítrica, condimentada e com notas de frutas brancas e amarelas, possui intenso caráter de lúpulo, fresco e herbal, contribuindo para sua complexidade. Espetacular!

Achel 

Destaque: Achel Blonde 

Uma Belgian Blond Ale de cor dourada, aromas florais e cítricos, com sabor frutado marcante, de final persistente. Uma cerveja sensacional para qualquer ocasião!


Compre essas e muitas outras cervejas trapistas clicando aqui!

Especial: as 10 cervejas mais vendidas e apreciadas da The Beer Planet

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

Que a loja virtual da The Beer Planet tem centenas de opções de rótulos de cervejas, kits, copos e acessórios cervejeiros, você já sabe! Mas você conhece quais são as cervejas mais vendidas e que mais fazem sucesso dentro dessa variedade toda? Então confere aí essa seleção fantástica e um pouco das características e curiosidades das 10 cervejas mais vendidas e apreciadas da The Beer Planet:

 

10 cervejas mais vendidas
Weihenstephaner Hefeweissbier 500ml

Estlio: Weizen

Origem: Alemanha

Teor Alcoólico: 5,4% ABV

Uma fábrica que produz cervejas desde 1040 definitivamente sabe o que está fazendo, não é mesmo? A única resposta possível para essa pergunta é: com certeza!

A Weihenstephaner é a cervejaria mais antiga ainda em atividade no mundo e, com quase 1000 anos de história aliando tradição e inovação, é sinônimo de excelência na produção de cervejas de estilos alemães.

A premiadíssima Weiheinstephaner Hefeweissbier é prova disso, uma cerveja de trigo de coloração amarelo-ouro, espuma cremosa e duradoura, aromas e sabores que remetem a banana e cravo. É uma cerveja encorpada, de alta carbonatação, que traz a refrescância e a história das cervejas alemãs a cada gole.

Dá pra ver que não foi à toa que ela foi a escolhida para abrir a nossa lista de cervejas mais vendidas e apreciadas!

10 cervejas mais vendidas
Ampolis Biritis do Mussum 600ml

Estilo: Vienna Lager

Origem: Brasil

Teor Alcoólico: 4,8% ABV

Essa cerveja é pura irreverência sem deixar de lado a qualidade. Idealizada como forma de homenagem ao humorista Mussum, este foi o primeiro rótulo lançado pela Brassaria Ampolis, em 2013. E eles já acertaram de primeira!

Uma bela Vienna Lager de coloração avermelhada com notas tostadas que remetem a toffee e caramelo, com amargor suave e refrescante. Tem alto drinkability e representa muito bem a alegria de viver do saudoso Mussum.

O lema aqui é: mais Biritis e menos “frescuris”!

10 cervejas mais vendidas
Trooper Iron Maiden Colecionável 330ml

Estilo: English Pale Ale

Origem: Inglaterra

Teor Alcoólico: 4,7% ABV

A já consagrada cerveja Trooper da banda britânica Iron Maiden, criada pelo seu vocalista, Bruce Dickinson junto à cervejaria Robinsons’, ganhou uma versão digna de colecionador!

Sua tampa traz a estampa do Eddie na versão do single Wasted Years, do lendário álbum Somewhere in Time de 1986. O rótulo também é novo, com visual marcante e metalizado.

Já a cerveja é a mesma English Pale Ale já conhecida, com notas frutadas e de toffee, além do amargor assertivo em destaque, remetendo a frutas cítricas, principalmente limão.

Cerveja e Rock n’Roll sempre formaram um belo par!

10 cervejas mais vendidas
Adnams Ghost Ship Lata 440ml

Estilo: Special Bitter

Origem: Inglaterra

Teor Alcoólico: 4,5% ABV

A Adnams Ghost Ship faz referência a um antigo Pub da marca, o The Bell, que tem a fama de ser mal-assombrado e traz em seu rótulo um Navio Fantasma (Ghost Ship, em inglês).

É uma cerveja produzida na Inglaterra, porém com a utilização de uma variedade de lúpulos americanos, incluindo o Citra, que proporciona deliciosos aromas de frutas cítricas para essa cerveja.

De coloração âmbar e alto drinkability, é um verdadeiro sucesso de vendas da nossa loja virtual.

10 cervejas mais vendidas
Paulaner Hefe-Weissbier Naturtrub Barrilete 5L

Estilo: Weizen

Origem: Alemanha

Teor Alcoólico: 5,5% ABV

A Paulaner Hefe-Weissbier Naturtrub é mais uma clássica cerveja alemã presente em nossa lista de mais vendidas e apreciadas. E sem dúvida está aqui por merecimento.

Considerada uma das melhores cervejas de trigo do mundo, ela apresenta coloração âmbar com turbidez, pois não é filtrada. No aroma possui as notas de cravo e banana tradicionais do estilo, com paladar levemente adocicado e de baixo amargor.

O revolucionário barril de 5 litros permite que a cerveja seja servida sob pressão, com a cremosidade de um chopp além de vir no tamanho ideal para compartilhar com os amigos.

10 cervejas mais vendidas
Dogma Hop Lover Imperial IPA Lata 350ml

Estilo: Imperial IPA

Origem: Brasil

Teor Alcoólico: 8,5% ABV

Esta Imperial IPA clássica da Dogma agora envasada na tradicional latinha de 350ml já é um sucesso entre os amantes de lúpulo.

Com amargor de 90 IBU muito bem equilibrado por sua base maltada e caramelizada, leva os lúpulos americanos Amarillo, Citra e Simcoe, com Dry-Hopping de Citra e Simcoe, que trazem para o conjunto sabores e aromas de frutas tropicais e cítricas em elevada intensidade.

Seus 8,5% de teor alcoólico são muito bem inseridos nesse conjunto. De corpo médio e final com amargor persistente e assertivo.

10 cervejas mais vendidas
Schornstein Imperial IPA Lata 473ml

Estilo: Imperial IPA

Origem: Brasil

Teor Alcoólico: 8,5% ABV

Seguindo com mais uma bela representante brasileira do estilo Imperial IPA, também envasada em lata, que mantém de forma mais eficaz o frescor das cervejas com características mais voltadas ao lúpulo.

Essa cerveja leva uma generosa carga de lúpulos americanos e ingleses, que preenchem o ambiente com seus aromas frutados e cítricos. Na boca, o sabor é complexo e o amargor persistente, porém limpo e com final seco.

A Imperial IPA da Schornstein já nasceu levando Medalha de Ouro no Festival Brasileiro de Cervejas de Blumenau de 2017.

10 cervejas mais vendidas
ACDC Lata 568ml

Estilo: German Pils

Origem: Alemanha

Teor Alcoólico: 5,0% ABV

 

A cerveja AC/DC é German Pils para os amantes do Rock! Produzida na Alemanha, pela Karlsberg Brauerei segundo a Lei de Pureza de 1516 e o Manifesto Rock n’Roll de 1973, em homenagem à banda de Heavy Metal australiana AC/DC.

Apresenta coloração dourada, aroma floral, corpo leve e sabor refrescante. Sua lata, de 568ml, é ainda maior que as que vemos normalmente por aqui (de 473ml), pois é um formato comum na Austrália.

É o tamanho ideal para matar a sua sede depois de curtir muito Rock n’Roll!

10 cervejas mais vendidas
Delirium Tremens Barrilete 5L

Estilo: Belgian Golden Strong Ale

Origem: Bélgica

Teor Alcoólico: 8,5% ABV

A Delirium Tremens é uma das referências mundiais do estilo Belgian Golden Strong Ale e a marca de cerveja artesanal belga mais famosa do mundo, com seu elefantinho rosa presente em todo lugar.

Sua personalidade peculiar e sabor único resultam do uso de três variedades diferentes de leveduras. É dourada, frisante, de colarinho cremoso, com marcantes notas frutadas, cítricas e florais, além de um toque picante de especiarias e amargor intenso, mas muito bem equilibrado.

Toda essa complexidade e perfeição dentro de um barrilete de 5 litros para você dividir com os amigos. E ele é tão bonito, que depois você ainda pode usá-lo como peça decorativa.

10 cervejas mais vendidas
Deus 750ml

Estilo: Bière Brut

Origem: Bélgica

Teor Alcoólico: 11,5% ABV

Para fechar a nossa lista das cervejas mais vendidas e apreciadas com chave de ouro, a cultuadíssima Deus Brut des Flandres!

Essa foi a primeira cerveja do mundo produzida pelo método de original de Champenoise (utilizado para fabricação de Champagne). Sua produção se inicia na Bélgica e é finalizada na própria região de Champagne, na França.

É frisante, delicada e ao mesmo tempo complexa e sofisticada. Apresenta notas frutadas, condimentadas e herbais, além de um suave dulçor que equilibra seu elevado teor alcoólico.

É a cerveja perfeita para celebrar e servir em ocasiões especiais.


Você já provou algum dos rótulos dessa lista de cervejas mais vendidas e apreciadas da The Beer Planet? Não perca tempo! Em nossa loja virtual você encontra esses e outras centenas de rótulos, kits e acessórios cervejeiros esperando por você.

Guia rápido de harmonização: 4 dicas para o sucesso

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

Equilíbrio de forças, semelhança, contraste e complementação; aprenda a usar essas ferramentas de forma fácil para arrasar nas harmonizações com cerveja.


Está cada vez mais comum ouvirmos falar em harmonização de cervejas e alimentos, mas você sabe exatamente o que isso significa? Em uma harmonização de sucesso, os sabores alcançados com a combinação de alimento e bebida devem ser ainda melhores do que os de cada um deles consumido de forma separada. Grandes sommeliers e especialistas realizam essa tarefa com maestria, transformando uma boa refeição em uma experiência gastronômica espetacular e inesquecível.

Para se obter uma harmonização perfeita é necessário ter em mente algumas diretrizes básicas que vão te guiar na hora de escolher a melhor cerveja para acompanhar o seu prato, ou o melhor alimento, caso já tenha escolhido a cerveja que quer beber.

Equilíbrio de forças

O primeiro fator a ser analisado em uma harmonização é a força de cada um dos elementos. Cervejas mais delicadas pedem pratos mais suaves e leves, enquanto cervejas mais intensas, pedem alimentos também mais potentes.

Por exemplo, você não vai escolher uma Imperial Stout, que é uma cerveja potente, encorpada, com alto teor alcoólico, e fortes sabores e aromas de maltes tostados, para harmonizar com uma salada verde, leve e refrescante. A cerveja certamente tomaria conta do seu paladar e mataria o sabor da salada em sua boca.

Um bom exemplo de harmonização levando em consideração o equilíbrio de forças seria combinar uma Salada Caprese, que leva tomate, muçarela de búfala e manjericão com a Cerveja Da Mata Witbier.

A salada não tem alto teor de gordura, nem sabores fortes e marcantes, assim como a Witbier é uma cerveja leve, refrescante, de baixo teor alcoólico, além de possuir notas cítricas e condimentadas que vão muito bem com uma saladinha.

Semelhança

As harmonizações mais intuitivas têm como base o princípio da semelhança. Aqueles que já começaram a se aventurar nessa área, sabem o prazer de provar harmonizações clássicas, do tipo brownie de chocolate com Stout. Ambas trazem notas de tosta, como cacau, chocolate e café, transformando cerveja e alimento praticamente em uma coisa só.

Mas arrisque ir além do tradicional. Preste atenção nas características de cada elemento da cerveja ou da comida e imagine com o que eles se assemelham.

Por exemplo: um belo frango assado traz notas de caramelização naquela crosta deliciosa que se formou durante o tempo que ficou no forno. Seguindo a diretriz da semelhança, podemos harmonizá-lo com a Cerveja Hohenthanner Märzen Festbier , que também apresenta essas leves notas caramelizadas e uma intensidade similar.

Agora, se você adicionar a este frango um molho marcante de especiarias, ou recheá-lo com uma farofa condimentada de banana, por exemplo, a intensidade irá aumentar e mais elementos vão entrar nessa equação modificando o rumo dessa harmonização.

A nova combinação de sabores vai pedir cervejas igualmente mais complexas e intensas, como a maravilhosa Straffe Hendrik Tripel,  ou ainda a clássica representante do estilo alemão Weizenbock, Weihenstephaner Vitus.

Contraste

Mesmo quando entramos no campo de contrastes, devemos sempre ter em mente o equilíbrio de forças. Tome cuidado para não deixar que um elemento se sobreponha ao outro.

Em uma harmonização desse tipo você deve se atentar principalmente aos gostos básicos (doce, amargo, salgado, azedo e umami), além do teor alcoólico e carbonatação (das cervejas) e gordura (dos alimentos). Dentro desse contexto, busque por elementos contrastantes que gerem interações específicas entre eles.

Por exemplo, a gordura dos alimentos pode ser contrastada com a carbonatação, a acidez, o amargor e o álcool das cervejas. Estes elementos ajudam a limpar seu paladar do excesso de gordura e prepara-lo para o próximo gole.

Comidas com bastante presença de umami (queijos maturados, carnes, cogumelos, shoyu, molho de tomate, etc.) interagem muito bem tanto com cervejas que apresentam caramelização e tosta, como com as que se destacam pelo amargor do lúpulo.

Pratos picantes podem se tornar um desafio ao preparar uma harmonização para diversas pessoas. Muitos adoram a sensação que as pimentas trazem aos alimentos, outros nem tanto.

Harmonizar um prato de Chilli com Carne (picante) com a Brewdog Punk IPA , que é uma cerveja com amargor pronunciado, irá potencializar o sentimento de picância do Chilli, assim como cervejas muito alcoólicas.

Mas caso você deseje controlar essa ardência, sugerimos escolher uma cerveja com notas mais adocicadas de malte, como a Oskar Blues Old Chub Scotch Ale.

Alimentos muito salgados contrastam com a doçura e a caramelização dos maltes das cervejas, equilibrando os sabores e trazendo harmonia para a combinação.

Da mesma forma, a doçura excessiva de algumas sobremesas, como o chocolate branco, pode ser controlada pela acidez de uma Kriek Lambic ou pelo amargor da tosta de uma Stout, como a Cerveja Coopers Best Extra Stout.

Complementação 

Para preparar harmonizações considerando a diretriz da complementação, a melhor maneira é pensar na cerveja e no alimento como um elemento único. Ou seja, como se a cerveja estivesse dentro do prato, ou o alimento fosse parte da cerveja. Por exemplo, um bom queijo Brie acompanhado de uma Cerveja Floris Framboise vai lhe trazer a sensação de estar comendo a tradicional combinação de Brie com geleia de frutas.

Ou ainda, harmonizar a Stone Go To IPA, uma Session IPA que remete a frutas cítricas e amarelas, com uma Feijoada, certamente vai trazer em sua memória a laranja que costuma fechar o banquete dessa iguaria brasileira.

O interessante é que, quanto mais interações entre os elementos do prato e da cerveja você conseguir estabelecer, mais bem estruturada ficará sua harmonização, resultando em uma experiência incrivelmente fantástica.

Lembre-se sempre que para se obter uma sensação completa durante uma harmonização, a cerveja e o alimento devem estar na boca ao mesmo tempo. Só assim você consegue realmente extrair todas as interações entre seus elementos.

Outro ponto importante é que o gosto pessoal sempre deve ser levado em consideração. Pois não adianta nada uma harmonização estar perfeitamente montada de acordo com essas diretrizes, se ela não agradar ao seu paladar.

Portanto, mãos à obra! Faça testes e anote os resultados. Somente a prática leva ao aprimoramento. E depois não esqueça de nos contar os resultados.


Você encontra essas e outras cervejas com dicas de harmonização dos nossos especialistas em nossa loja virtual The Beer Planet.

 

7 rótulos de cervejas importadas que não podem faltar na sua adega

Por Rodolfo Bosqueiro
@umami.sommelieria

Graças ao crescimento do consumo de cervejas artesanais do Brasil, a variedade de rótulos nacionais e importados à disposição também tem aumentado bastante. Por um lado, a abundância de opções é muito bom e bem atraente para quem gosta de diversidade, mas por outro, fica até difícil escolher quais cervejas não podem faltar em nossa adega.

Pensando nisso, reunimos uma lista com 7 rótulos de cervejas importadas de respeito, que julgamos dignos de estarem em seu estoque pessoal. São cervejas bastante especiais, algumas trazidas recentemente ao país e outras que já são clássicos, mas todas elas trazem elementos que as destacam e as fazem merecer um lugarzinho reservado na sua adega.

1. Cerveja Sierra Nevada Hop Hunter

Cerveja Sierra Nevada Hop Hunter
Sierra Nevada Hop Hunter

País de Origem: Estados Unidos

Estilo: American IPA

Teor Alcoólico: 6,2% ABV

Que a Sierra Nevada produz cervejas incríveis, como as suas clássicas Pale Ale e Torpedo Extra IPA, não é novidade para ninguém. Mas dessa vez ela foi além para proporcionar uma experiência única aos adoradores de lúpulo.

A Sierra Nevada Hop Hunter aproveita os sabores complexos dos lúpulos recém colhidos através de um processo revolucionário de destilação por vapor, feito antes mesmo do lúpulo deixar os campos de colheita. Esta técnica captura e intensifica os sabores naturais, criando uma cerveja única e intensamente aromática. Esse processo reúne o óleo puro do lúpulo, que combinado na produção com os lúpulos colhidos de forma tradicional vai lhe proporcionar uma experiência extraordinária de IPA! Nossa dica é que você beba essa cerveja o mais fresca possível.

2. Cerveja Straffe Hendrik Wild

 Cerveja Straffe Hendrik Wild 330ml
Straffe Hendrik Wild

País de Origem: Bélgica

Estilo: Wild Ale

Teor Alcoólico: 9,0% ABV

A cerveja Straffe Hendrik Wild da cervejaria belga De Halve Maan é uma versão selvagem da já conhecida e adorada Straffe Hendrik Tripel. Esta cerveja foi refermentada com leveduras do tipo Brettanomyces, responsáveis por criar aromas frutados e distintos que harmonizam perfeitamente com o rico uso de variedades de lúpulos aromáticos.

Essa cerveja precisa de um período de maturação mais longo na garrafa antes de ser liberada ao mercado, permanecendo assim por três meses nas caves da cervejaria. As leveduras selvagens dão a essa cerveja uma maior vida útil e uma interessante evolução nos sabores e aromas ao longo dos anos.

Uma experiência bastante interessante é adquirir algumas garrafas para sua adega e consumi-las em épocas diferentes para perceber e comparar essas mudanças.

3. Cerveja Liefmans Goudenband

Cerveja Liefmans Goudenband
Liefmans Goudenband

País de Origem: Bélgica

Estilo: Flanders Brown Ale

Teor Alcoólico: 8,0% ABV

A Liefmans Goudenband é definitivamente uma das cervejas escuras mais peculiares do mundo. Feita em tanques abertos com cervejas de fermentação mista, é maturada por um período de 4 a 12 meses na adega da cervejaria.

A cerveja maturada é então blendada com cerveja mais nova e o processo de fermentação começa novamente. Não tenha medo de deixá-la em sua adega por longos períodos, pois a Liefmans Goudenband é uma cerveja de guarda, que continua a evoluir ao longo dos anos, assim como um bom vinho.

Ao abrir essa preciosidade você imediatamente sentirá os maravilhosos aromas de caramelo, maçã, cerejas e malte. Na boca, encontrará notas de maçã e cerejas, combinadas com notas amadeiradas e acidez equilibrada, enquanto o retrogosto lhe reserva nozes e uvas passas. É sem sobra de dúvida uma obra de arte engarrafada.

4. Anchor Argonaut Barrel Ale

Anchor Argonaut Barrel Ale
Anchor Argonaut Barrel Ale

País de Origem: Estados Unidos

Estilo: Wood and Barrel Aged Beer

Teor Alcoólico: 7,5% ABV

A Anchor Argonaut Barrel Ale é a terceira criação sazonal, da linha “The Anchor Argonaut Collection” e foi feita em tributo a Fritz Maytag, figura importante, que deu início à revolução das cervejas artesanais nos EUA.

Essa cerveja é iniciada com a seleção de quatro cervejas da Anchor Brewing que são maturadas separadamente em barris de Old Portero Rye Whiskey e Bourbon. No próximo passo, as cervejas são blendadas em um tanque com adição de lascas de barris carbonizadas pela própria cervejaria, iniciando uma segunda fermentação.

O resultado é uma cerveja de coloração marrom escura e reflexos rubis, com uma base de aromas e sabores que remetem a maltes tostados, com sutil defumado e toques de whiskey balanceando suas notas de café e toffee, com um final incrivelmente macio.

5. Cerveja North Coast Old Stock Ale

Cerveja North Coast Old Stock Ale
North Coast Old Stock Ale

País de Origem: Estados Unidos

Estilo: Old Ale

Teor Alcoólico: 12,8% ABV

A multipremiada North Coast Old Stock Ale é outra cerveja americana digna de ter espaço reservado em qualquer adega. É uma cerveja de safra produzida apenas uma vez por ano e feita para maturar durante longos períodos, assim como um belo Vinho do Porto.

Com seu corpo denso de malte e generosa quantidade de lúpulo, é uma cerveja desenvolvida para entregar aromas e sabores mais arredondados com o envelhecimento. Vale a pena guardar alguns rótulos de safras diferentes para acompanhar a evolução.

A combinação especial de maltes e lúpulos importados da Inglaterra traz para essa cerveja deliciosas notas frutadas, vínicas, de caramelo e frutas passas, além de um final prazeroso e aquecedor devido ao elevado teor alcoólico.

6. Schneider Weisse Tap X Cuvée Barrique

Schneider Weisse Tap X Cuvée Barrique
Schneider Weisse Tap X Cuvée Barrique

País de Origem: Alemanha

Estilo: Weizenbock

Teor Alcoólico: 9,5% ABV

A magnífica Schneider Weisse Tap X Cuvée Barrique é um blend das já conhecidas cervejas Schneider Weisse Tap 6 Aventinus (uma Weizenbock) e da Aventinus Eisbock maturado por oito meses em barricas de carvalho que continham vinho Pinot Noir.

Essa obra prima criada pelo mestre cervejeiro Hans-Peter Drexler é única e surpreendentemente complexa. Com sua coloração âmbar escura de reflexos rubi, traz aromas que remetem a figo e pêra seca. No paladar você vai encontrar cerejas, alcaçuz, frutas vermelhas e passas, equilibradas por toques de baunilha e chocolate ao leite, além de uma acidez positivamente incomum que aumentam a complexidade da cerveja.Definitivamente, é uma cerveja que você precisa ter na sua adega! Então aproveite, por que não é sempre que temos uma raridade dessas por aqui.

7. Cerveja Founders KBS

Cerveja Founders KBS
Cerveja Founders KBS

País de Origem: Estados Unidos

Estilo: Russian Imperial Stout

Teor Alcoólico: 11,3% ABV

Para finalizar nossa lista, um clássico da cervejaria americana Founders, a “altamente aclamada” KBS (Kentucky Breakfast Stout). Essa cerveja dispensa apresentações, e agora que está sendo regularmente importada para o Brasil, é um daqueles rótulos que é sempre bom ter algumas unidades guardadas na adega.

Uma Imperial Stout de respeito, produzida com uma enorme quantidade de café e chocolate e maturada por um ano em barris que continham Bourbon.

Negra, licorosa, encorpada, complexa e deliciosa! A KBS também é uma bela cerveja para harmonizações. Experimente aprecia-la acompanhada de uma tapioca recheada com chocolate com avelã e coco ralado. Fica sensacional!


E aí, o que achou da nossa lista? Garanta já essas e muitas outras cervejas artesanais nacionais e importadas em nossa loja virtual The Beer Planet.